0

Como é o dia-a-dia em uma aceleradora?

by Luiz Jr 17. dezembro 2013 10:46

Eu vivia me fazendo essa pergunta, até que a alguns meses tive a oportunidade de descobrir a resposta na prática. O Busca Acelerada foi selecionado para receber investimento e mentoria estratégica da WOW Aceleradora (http://wow.ac) e até o final de março estaremos fazendo parte da primeira turma de acelerados, então posso contar como está sendo esta experiência.

A Seleção

Competimos com quase 100 startups nacionais e latino-americanas, tendo passado por algumas entrevistas com os fundadores da aceleradora e investidores. Nosso projeto, o Busca Acelerada (http://buscaacelerada.com.br), é um buscador especializado em classificados automotivos, que indexa mais de 1,3 milhões de anúncios de carros, motos, caminhões e veículos náuticos da Internet brasileira. Mesmo com o pouco tempo que tínhamos com a aceleradora em cada etapa da seleção, conseguimos mostrar que o projeto era viável (afinal já estava rodando tinha um ano), possuía escala (temos um beta fechado na Argentina) e tínhamos uma boa equipe para executá-lo. Com isso chegamos entre os 10 finalistas.

Entre os 10 finalistas tínhamos programas de fidelidade na nuvem, marcação de consultas online, sistemas de memória organizacional e as outras startups que foram selecionadas conosco: a Zoomyard, que é um marketplace de fotógrafos e cinegrafistas profissionais, e o Curupira, que recupera áreas degradadas do meio-ambiente com o plantio de árvores nativas, alinhado às necessidades ambientais das empresas que contratam seus serviços.

Destes 10 finalistas que paticiparam do WOW Day, para quase 40 investidores que fazem parte da WOW, apenas 3 foram selecionados, incluindo nós obviamente. Caso contrário eu não estaria escrevendo este post, hehehehe

A Aceleração

Finda a seleção, começamos uma jornada para ajeitar toda a papelada necessária para receber o investimento. Como a aceleradora requer participação no negócio, tivemos de abrir uma Sociedade Limitada (que futuramente terá de se tornar uma SA), criar conta jurídica, o último sócio que ainda não tinha se desligado da empresa que trabalhávamos teve de pedir demissão e por aí vai, incluindo muitas assinaturas de contratos e outros documentos.

Como somos de Gravataí, e o espaço que a WOW destina às startups é em Porto Alegre, no Nós Coworking do Shopping Total, nossa sede mudou de meu home-office para algumas posições fixas em um escritório compartilhado. A infraestrutura fornecida possui mobília básica de escritório e acesso à diversos recursos compartilhados, como Internet wireless, cozinha, banheiros, salas de reunião, café, etc. Basicamente temos de nos preocupar em trazer nossos notebooks conosco :D

A rotina das startups não mudam muito com a aceleração. Continuamos tendo de nos gerenciar, definir nossas prioridades, executar nossas tarefas e tudo mais que já fazíamos antes. A diferença está no fato de que podemos contar com o auxílio de mentores experientes para nos ajudar nas decisões e planejamento (nunca na execução). Logo de início tivemos um auxílio muito forte para recriar a cara comercial do Busca Acelerada, recebemos coaching de empresários de sucesso e estamos usando e abusando da rede de contatos dos investidores para abrir as portas que precisamos.

Semanalmente temos reunião com o diretor de aceleração, Bruno Peroni, e com o diretor executivo, André Ghignatti, para fazer o report de como anda nossa startup e para onde está andando. Além disso, mensalmente temos o WOW Camp, onde as startups aceleradas se reúnem para participar de workshops e à noite do mesmo dia o WOW Meeting, onde os investidores e outros convidados tem a oportunidade de ver a evolução das startups e bater um papo com cada um dos fundadores. Mensalmente também temos o acompanhamento das metas, que são reajustadas de acordo com a realidade da startup no momento.

O que está por vir

Já estamos na metade do processo de aceleração e muita coisa já mudou. Conseguimos validar (ou seria mais correto dizer invalidar?) algumas hipóteses, lançamos um site novo, estamos com uma comunicação completamente diferenciada, estamos começando a ser citados em alguns canais de mídia e nosso volume de usuários se mantém constante (este último infelizmente). Nosso roadmap é longo e nosso futuro é incerto, mas com certeza a experiência está valendo a pena, principalmente com a aceleradora ao nosso lado.

Tags: ,

Experiências | Startup

0

Dicas para um Pitch de sucesso

by Luiz Jr 30. abril 2013 13:21

Troféu D18 - Desafio de Startups

Quem me conhece pessoalmente ou mesmo acompanha meu blog sabe que ultimamente tenho participado de concursos de startups, entre eles o SAP Startup Forum em São Leopoldo-RS, o D18 - Desafio de Startups em Porto Alegre-RS e o Startup Weekend, também em Porto Alegre-RS, sendo que em dois deles levei o troféu pra casa. Além disso já presenciei outros tantos eventos onde o que mais importa é "vender" a ideia da sua empresa para uma banca de jurados. O famoso pitch.

O que é um pitch?

O elevator pitch, ou simplesmente pitch, é um discurso curtíssimo, de 1 a 4 minutos, dependendo do caso, em que você deve vender a sua ideia para alguém. Você tem de convencê-lo de que seu produto é, se não o melhor, um dos melhores do mercado, ou que sua empresatem grandes chances de crescer, ou que vale a pena para essa pessoa usar ou até investir em sua solução. Na sua essência, o elevator pitch tem esse nome supondo a hipótese de que você e um investidor estão no mesmo elevador, e que você tem apenas o tempo de saírem do elevador para convencer este investidor a apostar na sua ideia. Com essa premissa em mente os concursos definem tempos curtos para tanto, simulando a mesma situação.

O pitch não é a apresentação de um plano de negócios ou sequer de um canvas. Esse tipo de informação é para ser usada em uma segunda oportunidade, caso o investidor tenha gostado do seu pitch e convide-o para uma reunião ou mesmo conversa informal. Ou seja, o pitch é a sua chance de ganhar a atenção de uma pessoa que pode ser decisiva para o sucesso de sua startup: o investidor!

Como montar seu pitch

O pitch em termos gerais deve ser curto, com algo em torno de 1 a 2 minutos. Deixe para montar um pitch maior se o evento assim permitir (no SAP Startup Forum, por exemplo, os pitches eram de 4 minutos pois tínhamos de dar detalhes técnicos da solução). Comece se apresentando e tenha aqui uma frase bem definida para sua empresa. Chame como quiser: proposta única de valor, slogan ou frase matadora, mas ela tem de expressar o que sua startup é em uma frase. Simples e objetiva como "As MELHORES ofertas de veículos em um só lugar!". Você entende em uma frase que a startup é um único lugar (no meu caso um site) onde você vai encontrar as MELHORES (note a ênfase) ofertas de veículos. Independente de como fazemos isso ou se somos bons, essa frase diz exatamente o que o site é em termos gerais, e a partir dela o ouvinte pode decidir continuar lhe escutando ou não, caso não se interesse por esse mercado.

A seguir descreva como você faz isso, em linhas gerais. No Busca Acelerada (http://buscaacelerada.com.br) através de diversas tecnologias, agregamos os anúncios de veículos de 70 sites diferentes, totalizando uma base de mais de um milhão de ofertas do Brasil inteiro. Veja que aqui conseguimos expressar que somos um agregador de ofertas, e que é mais vantajoso usar a nossa ferramenta do que ter de procurar em 70 sites diferentes que nós já procuramos previamente para você. Essa sentença aliada a um bom slide cheio de logos de nossos sites parceiros causa o impacto que queremos: a pessoa vai querer acessar o site naquele momento para testar.

Agora que sua audiência já entende o que você faz e como, ela vai querer saber um pouco mais da empresa. Já possuem um protótipo funcionando? Quem são as pessoas responsáveis por isso? O time e sua experiência é muito importante para os investidores pois principalmente na área de TI, todo mundo sabe o quão difícil é montar uma boa equipe com gestores, programadores, designers, etc. Gosto de apresentar minha equipe em linhas gerais, dizendo o que cada um faz e as experiências que temos juntos (em nosso caso trabalhamos juntos por vários anos).

Até aqui tudo bem, você está dizendo que faz algo inovador, que sua equipe trabalha bem. Mas e a grana? Qual o tamanho do mercado que planeja atingir? Já possui um faturamento hoje ou alguma projeção que queira compartilhar? Possui uma base de usuários ou outro número interessante? E mais importante: qual é o seu modelo de negócios? Muitas startups que se apresentam em palcos de competições morrem exatamente aqui. A falta de preparo nestas questões são decisivas para separar quem tem maior capacidade de gestão dos que apenas estão se aventurando e correm o risco de quebrar no primeiro ano de operação. Você tem de saber claramente (embora isso provavelmente vá mudar com o tempo) para quem você vende (B2B? B2C?), como você vende, o quanto pode faturar com isso e se existe a possibilidade de escalar seu negócio para realmente criar a próxima startup milionária.

Neste momento seu tempo deve estar se esgotando. Se ainda tiver alguns segundos, use para dizer qual a sua motivação para estar ali. Fale o que está buscando, quais são suas preocupações e em que áreas precisa de ajuda hoje. Mostrar humildade em reconhecer no que precisa melhorar vale para tudo, desde entrevistas de emprego a pitches para investidores. Findo o tempo, agradeça a atenção. Se fez tudo certo, a banca ou o investidor isolado lhe encherá de perguntas sobre concorrência, projeção de faturamento, o quanto precisa de investimento, barreiras de entrada para novos concorrentes, diferenciais competitivos, escala, etc. Esteja preparado para responder perguntas muito cabeludas como: de quanto dinheiro vocês precisam para dominar este mercado? Ou quanto esse mercado movimenta em dólares por ano? O que impede de alguém copiar sua ideia e ficar rico antes de você? Eles irão perguntar, tenha certeza. Se não o fizerem é porque infelizmente não se interessaram tanto por sua startup.

Como se portar no palco

Sobre a aparência, vale ressaltar o básico de uma entrevista de emprego: vista-se bem, mas sem exageros (eu geralmente uso polo e jeans), esteja com barba e cabelos bem feitos, a menos que sua proposta seja diferente. Tem startup que realmente quer passar a imagem de que todo mundo é doidão, por isso que é barbudo, tatuado, etc. Nada contra, cada um com seu estilo, mas se não é isso que quer passar, lembre-se do que Steve Jobs diz no filme Piratas do Vale do Silício "Gerentes de banco não gostam de caras barbudos." em virtude dele não conseguir tirar um empréstimo até o dia que tirou sua barba para ir ao banco levantar fundos para a Apple.

Sobre expressão corporal, evite gestos que demonstrem nervosismo ou prepotência. O primeiro pode ser coisas simples como segurar o microfone com as duas mãos, errar trocas de slides com o laser-pointer na mão, se virar de costas para a platéia e por aí vai. O segundo é ainda mais perigoso. Pior que um apresentador nervoso, é um que se acha superior aos demais. Arrumar o cabelo feito comercial da Grecin 2000 ou mesmo coçar a nuca franzindo a testa podem indicar que você está "se achando". Tome cuidado com isso pois já vi fundadores de startups perderem grandes oportunidades devido a terem se mostrado arrogantes frente aos investidores.

Evite também ficar andando demais. Afinal você tem dois minutos, não tem lá muita necessidade de andar pelo palco, certo?

Como responder as perguntas

A chave aqui é humildade. Os investidores que estiverem presentes no evento são voluntários. Eles não estão ganhando nada para dar suas opiniões e em sua imensa maioria gostam de ajudar os empreendedores pois já passaram por isso antes. Em hipótese alguma discuta com eles ou faça réplicas sucessivas, isso vai mostrar que você é teimoso, burro, ou os dois. Lembre-se que o tempo para as perguntas e respostas também é limitado, então não fique confrontando quem está lá para dar sua opinião.

O interesse dos investidores em lhe perguntar é termômetro para saber se você foi bem na apresentação. Veja bem, um termômetro pode marcar quente ou frio, ou seja, se eles perguntarem coisas que você já disse na apresentação, pode ser que você não tenha sido tão claro quanto deveria. Reveja esses pontos antes de uma próxima oportunidade.

Seja honesto. Se você não sabe uma resposta, diga que não sabe. Não faça especulações que não tem embasamento algum. Já vi muito fundador dizer que vai faturar 1 milhão (ou seja lá a quantia) no primeiro ano sendo que até agora não faturou nada, não sabe seu custo de aquisição por cliente, não sabe o life-time value de seus clientes, e nem mesmo tem uma estratégia de vendas e/ou marketing para tal. Ou então dizer que vai dominar o mercado nacional em x tempo sendo que não deixou sua marca nem em sua cidade natal ainda. Sério, Não "viaje na maionese", só use números e projeções se souber usá-los.

Como montar seus slides

Uma apresentação de dois minutos não deve ter muitos slides, certo? Lembre-se que o foco deve ser você e os slides servem mais para deixar sua marca na cabeça da audiência, servir como pano de fundo para seu discurso ou mostrar gráficos interessantes. Eu geralmente uso em torno de 5 slides para um pitch de 2 minutos, sendo que o primeiro deles é a capa e por vezes o último é apenas um agradecimento com informações de contato.

Não coloque muito texto, um slide não deve conter mais que três frases curtas, afinal, ninguém está ali para ler, eles querem ouvi-lo. Mesmo com poucas frases, evite ler o que está escrito no slide. O slide é para o público e não para você. Bons slides tem apenas um título, uma imagem e uma frase. E apenas isso deve ser o suficiente para passar a ideia que deseja. Tenha em mente que você é o astro da apresentação, e não o Powerpoint ou Prezi.

Conclusões

Eu não sou especialista em pitches e minha startup nem mesmo recebeu investimento. As dicas acima apenas são fruto de minhas experiências de anos como professor e palestrante em mais de uma centena de eventos e cursos. Sinta-se à vontade para comentar e até mesmo para utilizar essas dicas em suas apresentações. Outras fontes interessantes sobre como montar pitches podem ser encontrados nos sites da Endeavor e na Anjos do Brasil.

Tags: , , ,

Dica | Eventos | Experiências | Startup

6

Dicas para Desenvolvedores de Jogos

by Luiz Jr 14. abril 2013 17:55

Este post é para os leitores que desenvolvem seus próprios jogos sozinhos e muitas vezes se sentem perdidos sobre quala  melhor maneira de desenvolver um jogo. Um dos maiores desafios no início da carreira de quem quer se tornar um desenvolvedor de jogos é o conhecimento do que se deve fazer, principalmente no que tange descobrir quais são as ferramentas necessárias para desenvolver um bom jogo. Como o foco da minha pós-graduação é desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis, esse post será mais interessante para quem deseja desenvolver jogos para smartphones e tablets. Mesmo para quem já está trilhando o caminho de outras plataformas, este post pode ajudar também, então continue lendo. 

A Plataforma

Antes de sair comprando algum livro de programação de jogos ou decidir que plataforma irá utilizar, é importante pensar a respeito. Quando o assunto é programação para jogos móveis, existem no mínimo dois sistemas operacionais que devem ser levados em conta iOS (iPhone, iPad, etc) e Android (Galaxy, Razr, Defy, Optimus, etc) e desta forma, para evitar o retrabalho, é interessante que seja escolhida uma plataforma de desenvolvimento que lhe permita atingir estes dois públicos de uma vez só. Existem vários frameworks de desenvolvimento multiplataforma no mercado, mas quando o assunto é games, Corona SDK tem se mostrado uma forte opção, e não obstante, um anúncio recente da empresa Corona Labs tornou o Corona 100% free, mesmo para os desenvolvedores que querem publicar suas aplicações nas lojas e ganhar dinheiro com elas.

Para quem não sabe, eu traduzi recentemente um livro sobre Corona SDK, que pode ser conhecido e adquirido clicando em seu link. Você não precisa comprar o meu livro para aprender a programar usando Corona SDK, mas com certeza ele lhe poupará muito tempo procurando como resolver os problemas mais comuns na Internet, principalmente se não domina o idioma inglês. Fora isso, existem exemplos completos de jogos no livro, com código-fonte e explicações.

O restante deste post é uma tradução livre do original "Making Progress as a Solo Mobile Game Developer", escrito por Inna Treyger entrevistando Hugo Bonacci, um desenvolvedor de jogos que trabalha sozinho e consegue grandes feitos usando Corona SDK. O post original pode ser visto no blog da Corona Labs (em inglês). O mais recente lançamento da Hugoware (marca de Hugo), que também foi eleito como Aplicativo da Semana pela Corona Labs, é Kung-Fu Clash, um beat-n-up muito viciante disponívels para iOS e Android e cujas informações completas (com screenshots e vídeos) pode ser vistos aqui:http://www.coronalabs.com/blog/2012/11/26/app-of-the-week-kung-fu-clash/

Tendo Progresso como Desenvolvedor Solo de Jogos

Hugo Bonacci é um desenvolvedor independente e designer da aplicação que venceu o App of the Week feito pelo Corona Labs em março deste ano, com o game Kung-Fu Clash. Sua paixão por jogos começous desde jovem, quando Hugo tornou-se um grande fã dos jogos de NES e SNES (ele ainda joga com suas crianças!) e é inspirado por jogos como Final Fantasy, Zelda, Secret of Mana e Chrono Trigger.

Durante o dia, Hugo trabalha como consultor de usabilidade para uma empresa em Dallas, Texas, mas sua paixão real é desenvolvimento de jogos. Veja os trabalhos de Hugo em seu blog Hugoware.net.

Fazer jogos pode ser muito divertido, mas também exige muito trabalho. Muitas pessoas tentam criar jogos por conta própria mas pouquíssimas conseguem - e eu me incluo aqui.

Com Kung Fu Clash eu decidi tentar coisas diferentes do que em meus projetos anteriores. Este post discute algumas das abordagens que me ajudaram a publicar com sucesso meu primeiro jogo.

Ninja Mockups

Projete Primeiro

Não se apresse em iniciar a codificar seu jogo. Gaste um tempo planejando o que será seu jogo, como ele funciona e obtenha uma ideia geral do que precisa ser feito. É muito mais rápido encontrar falhas no papel do que gastar horas escrevendo código somente para descobrir que uma idéia não funciona.

Tente abordar ideias que tornem seu jogo diferente dos demais. Algumas vezes é simples como pegar uma categoria comum de jogos (por exemplo, tiro em primeira pessoa) e dar um gostinho único (por exemplo, adicionando portais).

Você não precisa ter um cronograma detalhado de cada tela e comportamento do seu jogo. Eu descobri que simples rascunhos e anotações são mais do que suficiente para tirar as ideias da sua cabeça.

Planejamento não deve estar limitado a somente o início do projeto. Toda vez que quiser adicionar uma feature ou modificar algo que estava funcionando, gaste algum tempo para organizar suas ideias antes de começar.

Kung Fu Clash

Mantenha Simples

Como em qualquer projeto, o número de tarefas necessária para completar pode rapidamente sair do controle. Cada vez que você pensar que identificou tudo que precisa ser feito, acaba descobrindo um grupo inteiramente novo de tarefas que havia esquecido.

Inicie criando uma lista dos requisitos-chave para seu jogo, isto significa remover elementos não essenciais como power-ups, rankings, etc. A seguir, inclua cada um dos sprites, animações, planos de fundo, músicas e outros recursos criativos que você terá de criar. Por último, não esqueça de incluir tarefas que são geralmente esquecidas como gerenciar configurações do usuário, manipular transições de cenas, menus de jogo, gerenciamento de recursos, etc.

Não demora muito para que seu simples jogo vire uma lista que demorará semanas para ser concluída. Não deixe isto intimidar você. Tendo um overview das tarefas para completar irá lhe ajudar a definir objetivos e rastrear seu progresso ao longo do caminho.

E por último, se você quiser adicionar algo novo ao seu jogo então terá de executar este planejamento novamente. Pergunte a si mesmo o que você precisa codificar e criar para fazer acontecer. Uma vez que vislumbre o que precisa ser feito, decida se realmente precisa dessa feature ou se ela pode esperar.

Manter as coisas simples algumas vezes significa dizer a si mesmo "não" sobre adicionar features ao seu jogo.

Mantenha o Foco

É fácil ficar desencorajado quando você é a única pessoa no projeto, especialmente quando o progresso é lento e você tem trabalhado durante vários meses, mas felizmente existem algumas maneiras de se manter motivado.

Primeiro, comece compartilhando seu progresso com seus amigos, familiares e redes sociais. Deixe as pessoas verem no que você está trabalhando e compartilhe sua empolgação. Coloque seu jogo em um dispositivo e deixe as pessoas testá-lo. É emocionante, e altamente motivante, ver seu jogo em ação.

Não fique desencorajado se ele não funcionar corretamente - é somente um demo. Adicionalmente, não aja imediatamente após o feedback de um usu'rio. A menos que seja uma falha crítica, simplesmente tome nota de suas sugestões e então as revise mais tarde. Tentar implementar novas ideias, mesmo as boas, irá diminuir o seu progresso.

Segundo, se você se sentir desmotivado, sobrecarregado, ou simplesmente confuso no que deveria estar fazendo, então provavelmente isso é um sinal de que precisa se organizar melhor. Gaste algum tempo examinando seu projeto e escreva uma lista de tarefas restantes. Simplesmente sabendo o que precisa ser feito é que se consegue manter o projeto nos trilhos.

Quando você sentar para trabalhar, revise sua lista e defina a si mesmo um objetivo de ao menos uma tarefa (ou mais) para terminar e então marque-as conforme for terminando.

Use o Tempo Sabiamente

Teste e encontre maneiras de pré-visualizar suas ideias antes de escrever código. Por exemplo, eu uso Flash para animação e design de personagens, mas ele também funciona bem para visualizar como um personagem se parece movendo através de um plano de fundo para rapidamente experimentar os diferentes tipos de efeitos especiais.

Criar arte para um jogo é um processo que consome muito tempo então esteja certo de planejar para displays de alta-resolução logo no início usando vetorização, 3D ou PSDs muito grandes. Não teste e crie suas próprias sprite sheets manualmente, mas ao invés disso use aplicações como TexturePacker ou Zwoptex para acelerar o processo.

Considere usar recursos existentes para os itens que você não consegue fazer. Por exemplos, eu não sou músico e teria gastado semanas de desenvolvimento tentando criar uma música somente para acabar com algo horrível. Para este projeto eu decidi comprar uma música livre de royalties. Não somente a qualidade é muito superior a qualquer coisa que eu criasse como eu economizei muito tempo no processo.

Evite escrever código se uma biblioteca open-source está disponível e faz a mesma coisa. Mesmo que não da forma exata. É muito mais rápido modificar uma biblioetca existente do que escrever uma do zero. Por mais interessante que possa ser escrever seu próprio framework, seu tempo é melhor investido no código específico do seu jogo.

Não tema gastar tempo escrevendo scripts que automatizam tarefas repetitivas. Se voc6e se encontrar fazendo uma mesmo processo várias vezes, então ele é um candidato perfeito para automatização. Quando você é a única pessoa trabalhando em um projeto, o tempo gasto em atividades tediosas é um tempo jogado fora do ponto de vista dos objetivos pessoais.

E por último, evite o excesso de engenharia em seu código. Isto não siginifica fazer gambiarras, mas ao invés disso um lembrete de que o melhor código do mundo, se não for lançado e/ou gerar algum benefício, é um desperdício. Tente reutilizar código sempre que possível, escreva comentários úteis e use nomes de funções e variáveis com significado, mas principalmente, se preocupe em criar uma boa experiência para o usuário.

Kung Fu Clash Screenshot

Não se Contente

Olhe cuidadosamente a cada detalhe no seu jogo e nunca aceite um "bom o bastante". Se você não está feliz com algo ou algo não parece certo, então há uma boa chance que seus usuários também não gostem. Cuide de cada detalhe até que sinta que está perfeito. Trate seus jogos como se fossem obras-primas - eles não merecem menos!

É difícil ser a única pessoa trabalhando em um projeto, mas isto também significa que você é o único que decide o que vai para o produto final. Tire vantagem de ter o controle completo e dê o seu melhor!

Hugo Bonacci, Criador do Kung-Fu Clash

Tags: , , , ,

Corona SDK | Dica | Experiências | Lua | Mobile

0

Startups e Novidades

by Luiz Jr 5. abril 2013 21:45

estas últimas semanas participei de dois eventos bem distintos, e igualmente interessantes, o Pitch Your Business e o SAP Startup Forum. Em ambos eu fui em busca de mais conhecimentos para aplicar em minha startup, o Busca Acelerada.

Pitch Your Business

Pitch Your Business

Este evento é organizado pela empresa junior da UFRGS, a PSJunior, que é uma empresa sem fins lucrativos mantida pelo trabalho social de alunos da Escola de Administração da federal gaúcha. A ideia do evento era que 10 empresas fizessem seu pitch no palco, recebendo feedback de um júri e ao final do evento, algumas delas receberiam consultoria gratuita da PSJunior, entre outros prêmios, para ajudar a alavancar sesu negócios.

Infelizmente fiquei sabendo de última hora e não pude inscrever o Busca Acelerada no evento, mas mesmo assim, não deixou de ser interessante. O que mais gostei neste evento é que destoou bastante dos eventos tradicionais que eu vou, recheado de startups de Internet. O PYB foi um evento de empreendedorismo, na sua mais pura essência. Tínhamos desde donos de Pet Shop, a mercadistas, passando por uma ideia de empresa de vigilância em escolas até as tradicionais startups de Internet. Tradicionais pelo menos no meu mundo, hehehehe

Duas delas me chamaram bastante a atenção e fazeram valer o evento na minha opinião: o Mercado Brasco e o Pizza Sessions. Não que as demais não tenham sido boas, como a Datamundus, que possui uma tecnologia para analisar e entender todo tipo de informação, o que é incrível. Mas é que estes empreendedores dessas duas empresas me chamaram a atenção pela paixão que possuem por seus negócios, embora não sejam as empresas mais incríveis do mundo e pelo fato dos negócios possuírem uma identidade próprio. O Brasco não é apenas um mercado, é um ponto de encontro do bairro Moinhos em Porto Alegre, e o Pizza Sessions não é apenas uma pizzaria, é uma escola para pizzaiolos amadores. Só vocês vendo as apresentações para vocês entenderem...

SAP - Best Big Data Solution

SAP Startup Forum

A gigante das indústrias de softwares empresariais, SAP, tem organizado pelo mundo todo eventos de fomento a startups que tenham interessem em utilizar o ecossistema SAP em suas plataformas. Em especial no momento eles tem divulgado muito sua nova plataforma de dados in-memory, o SAP Hana, e a primeira edição do SAP Hana Startup Forum no Brasil aconteceu ontem em São Leopoldo-RS. Como o Hana é um appliance para solucionar problemas de Big Data e Real-Time Analytics, ele cai como uma luva pro Busca Acelerada, que possui uma base imensa de anúncios. Pois bem, inscrevi a startup e fomos um dos 10 selecionados dentre 40 startups para se apresentar no palco do evento.

Além dos pitches de 4 minutos, o evento estava recheado de palestras e até uma mesa redonda sobre empreendedorismo com profissionais do Sebrae, Endeavor e Semente Negócios. Algo curioso é que apesar de ser um evento no Brasil, haviam palestrantes e convidados do mundo todo. Países como Alemanha, Índia, Argentina e Inglaterra marcaram presença no evento, logo, o idioma oficial do evento se tornou o Inglês. Salvo raras exceções, todo o conteúdo do evento foi em inglês e para quem não possuía domínio do idioma haviam tradutores simultâneos via rádio. Além dos pitches e das palestras o evento em si foi bem bacana, pois pude conhecer o SAP Labs Latin America e realmente é impressionante. Também pude conhecer uma galera show de bola, como a gurizada empresária da e-mine e o multi-talentoso Felipe Plets, que trabalha na própria SAP e é o cabeça do blog Pletax.

Voltando ao evento, apresentei o Busca Acelerada no palco principal e mais tarde, em meu próprio estande. Foi bacana, recebi muito feedback dos participantes do evento e não é que fomos premiados! O Busca Acelerada recebeu o prêmio de Best Big Data Solution e quem me entregou o prêmio em mãos foi ninguém menos que Kaustav Mitra, VP Global da SAP e Stefan Wagner, o presidente da SAP Latin America. Também tiramos vários fotos, mas ainda não estão disponíveis, atualizarei o post mais tarde com elas. Outros prêmios incluíam Most Innovative Solution, que foi dada a um empreendedor que propõe uma espécie de Google Reader 2.0 e People's Choice que foi dado à empresa mais votada pelo público do evento.

Conclusões

Os eventos foram muito bacanas e são recomendadíssimos para suas próximas edições. E os próximos já estão marcados: no dia 22/04 estarei no curso Técnico em Informática da Escola Dom Feliciano, mas como palestrante sobre empreendedorismo digital, e no dia 24/04 estarei no Startup Meeting em Porto Alegre. Ainda não sei se conseguirei apresentar o Busca Acelerada por lá ou se apenas prestigiarei o evento. Obviamente farei um post a respeito, hehehehe.

Outras indicações para o pessoal que curte startups são a nova aceleradora de startups que surgiu em Porto Alegre, a WOW e o fantástico curso de Negócios Digitais promovidos pela Perestroika, também em Porto Alegre. Eu fiz um curso desses no ano passado com o pessoal da Semente Negócios e da Ionatec e foi fantástico!

Um abraço e até a próxima!

Tags: , ,

Eventos | Experiências | Startup

2

O Quê os Investidores Estão Buscando? - Parte 2

by Luiz Jr 20. novembro 2012 15:43

Investidores em Porto Alegre!

Não que eu houvesse pretendido em algum momento, mas aqui vai a segunda parte do meu post sobre o que os investidores estão buscando na cena startup nacional. Recentemente tive a oportunidade de participar do Circuito Startup Porto Alegre e mais do que isso, tive a chance de apresentar o Busca Acelerada na Rodada de Negócios do evento, um meeting com 4 investidores nacionais, representando os fundos da Endeavor, Anjos do Brasil, Paradoxa e HFPX. Junto comigo estavam outras 7 startups também interessadas em fazer networking e óbvio, buscar investimento. Para adiantar o final do post, não, não obtivemos investimento, mas consegui muito mais que isso...

O Pitch

Para quem não sabe, o elevator pitch, ou simplesmente pitch, é aquele famoso discurso de poucos minutos que visa convencer o investidor a apostar na sua idéia. A Rodada de Negócios fornecia 5 minutos para cada participante conversar com cada investidor. A primeira coisa que passa pela cabeça de qualquer cara de TI, ao saber que tem de fazer uma apresentação é...POWERPOINT! Pois é, foi essa idéia originalíssima que eu tive também. Passei a tarde inteira bolando um PPT de 10 slides para apresentar no evento. Não ficou lá muito bonito, mas continha os principais tópicos que eu considerava importante de serem abordados. E eu estava errado.

Cada evento é único. O discurso de um concurso de startups, como o Seabre Startup Day, é uma coisa. Sentar em uma mesa, só você e o investidor, é outra. Descobri da pior maneira que o PPT se encaixa bem no primeiro conceito. No segundo, uma conversa em uma mesa de bar (sim, o John Bull, onde aconteceu o evento, é um pub famoso de Porto Alegre) exige apenas determinação e bons argumentos. Nenhum investidor está interessado em olhar slides em um notebook, embora eles tenham gostado de ver o beta do BA funcionando perfeitamente.

Sem me estender muito neste tópico, o que gostaria de dizer é que você deve estar muito preparado para, a qualquer momento, jogar seu PPT fora e conversar cara-a-cara, respondendo as perguntas e fazendo suas argumentações. Sem o apoio de nada e nem ninguém. Isso demonstrará para que você foi até lá e que tem tutano para tocar uma startup. Percebi isso ao queimar o primeiro "cartucho" da noite, tentando encaixar a apresentação, demonstrações e feedback em 5 minutos conversando com o Mark Woodhead, da Anjos do Brasil. Nos demais, realizei um pitch de verdade, digno do mais profissional dos marketeiros.

O Feedback

Vocês conhecem Lean Startup? E o ciclo construir-medir-aprender? Pois é. O intuito de uma startup é encontrar e validar um modelo de negócio válido que vá se tornar rentável e escalável visando a criação de uma empresa de sucesso. O "core bussiness" de uma startup é, em sua essência, aprender como fazer uma idéia gerar dinheiro. Da mesma forma, os diversos eventos de startups que acontecem pelo país deveriam ser encarados detsa forma. Ainda que o objetivo de um fundador de startup seja obter investimento em um destes eventos, em sua essência, o foco deve ser aprender, e este foi outro ponto chave da noite da última sexta-feira.

Se você tem 5 minutos, reserve metade para obter feedback. De que adianta apresentar seu demo, seus números (e até mesmo seu maldito PPT) se não sobrar tempo para ouvir a opinião do investidor? É insano pensar que ele vai te ouvir por 5 minutos e no final de tudo dizer sim ou não, assim como no programa do Ídolos. Os investidores te darão feedback e a menos que tenha um negócio que já estourou em mãos (o que é raro, caso contrário os investidores é que estariam te procurando), eles não vão te dizer nada, mas podem te ajudar com dicas valiosíssimas.

As Pessoas e os Produtos

Ao contrário do que muitos pensam, e eu me incluía nesta categoria, investidores são de carne e osso. Eles não estão atrás apenas de riqueza e bens materiais, assim como nós, pois afinal, muitos deles já possuem isso. Investidores também não estão atrás de idéias que não saem do papel de tão mirabolantes que são, ou de pessoas que nem mesmo querem contar suas idéias de tão boas que são. Investidores estão atrás de sonhos, de inovação, de pessoas, e não de produtos. Grande parte da alegria da vida de um investidor vem de sua trajetória ajudando empresas a crescer, seja a sua ou de outros. Os números são indicadores de sucesso e consequência de um bom investimento, não o produto em si. Em um mundo onde diferenciais tecnológicos estão cada vez mais raros, o diferencial maior são as pessoas. Todos tem acesso às mesmas linguagens de programação, servidores e faculdades. Ok, uns mais e outros menos, mas nenhum destes itens é a barreira entre o sucesso e o fracasso de uma startup. As pessoas o são.

Conversando nos últimos dias após o evento, e sim, este é o momento mais bacana de ter participado: os contatos que fazemos, pude constatar muitas coisas que me fizeram refletir, sobre o motivo de eu estar empreendendo. Embora muitas vezes eu acredite que estou focado nos meus usuários, fornecendo uma ferramenta para auxiliá-los a encontrarem mais rapidamente os carros que estão procurando, notei que em certo momento me deixei levar pelo espírito programador e estava mais preocupado em ter todos os anúncios de veículos da Internet no site e não no valor que isto traria aos usuários. Assim chegamos ao primeiro pivô do Busca Acelerada, após mais de 3 meses no ar.

O Pivô

O Busca Acelerada, cujo lema até ontem era: "Todos classificados de veículos em um só lugar!", tinha como objetivo primário encontrar, catalogar e disponibilizar todos os anúncios de veículos da Internet brasileira para ses usuários, poupando-lhes o trabalho de entrar em diversos sites diferentes para encontrar as ofertas do carro que procura. Entretanto, através das conversas que tive com empreendedores mais maduros que eu, inclusive que tiveram experiência no exterior, pude perceber que não é isso que os usuários precisam. Quantos carros um usuário de Internet compra por vez? UM. E quantos carros ele olhará até encontrar o que procura? Mais de um, e menos do que uma centena, com certeza.

No caminho do sistema o desafio foi até o momento de juntar o maior número de veículos sob um mesmo site, para dar a maior diversidade para os usuários. Para que um usuário que pesquisasse por CHEVROLET tivesse mais de 30 mil possibilidades de compra. Mas quantas dessas realmente representam uma compra em potencial para este cliente? Os mais baratos? Os mais novos? os da cidade dele? Muitos podem pensar que os sites de classificados de veículos, que inclusive o Busca Acelerada indexa mais de 30, já suprem esta demanda e muitos se perguntam o porque de eu não querer fazer apenas um site de classificados de veículos. Pelo mesmo motivo que um investidor não investe em um site de classificados qualquer.

O tema central deste post, o qual pode ter ficado obscuro no processo de escrita, é: investidores e fundadores de startups não estão em busca apenas de dinheiro. Eles estão em busca de pessoas, e por mais idílico que isto possa parecer é algo que estou cada vez mais convencido. O foco do Busca ACelerada não é se tornar a maior base de veículos da Internet brasileira, embora isto ter nos orgulhado nos últimos meses no que tange o RS, mas sim, uma ferramenta de apoio na tomada de decisão para compra de um veículo. Ao invés de irmos em busca de lhe apresentar milhares de Volkswagen Gol, vamos lhe apresentar algumas dezenas, mas as melhores dezenas de resultados que você poderia esperar para seu gosto e orçamento. A partir de ontem o lema do Busca Acelerada passa a ser: "As melhores ofertas de veículos em um só lugar!".

Conclusões

Este primeiro pivô no conceito do BA marca uma abordagem mais madura para o propósito de ter largado tudo em prol do projeto. Claro, o caminho é longo até concretizar tudo que tenho para o projeto, mas ter uma visão de onde se quer chegar, já é muito melhor do que ter a ilusão do que está no caminho certo. E isto torna mais fácil entender o porque de investidores escolherem a startup A ou B, quantas pessoas você conhece que tem uma idéia mirabolante que poderia virar um grande negócio? Quantas delas implementam suas idéias? E destas, quantas viram um grande negócio? Algo nesse caminho para o sucesso e nessas pessoas que obtém sucesso, são o que chamam a atenção dos investidores. e é por aí que você deveria começar a procurar para entender o que os investidores estão buscando. Como eu estou fazendo. Boa sorte!

Tags: , , , ,

Dica | Eventos | Experiências | Mercado | Startup

Powered by BlogEngine.NET 1.6.1.0
Design por Laptop Geek, adaptado por onesoft e personalizado por mim.