LuizTools 2.0

Desde 2010 codificando minhas ideias!

2 anos de Busca Acelerada

Hoje faz 2 anos que o site do Busca Acelerada (http://www.buscaacelerada.com.br) está no ar ininterr

Hoje faz 2 anos que o site do Busca Acelerada está no ar ininterruptamente. Este que foi um dos meus maiores projetos pessoais, contrariando todas as estatísticas do mercado, permanece de pé como uma das melhores opções para se encontrar as melhores ofertas de veículos e autopeças da Internet brasileira.

Na verdade a história do Busca Acelerada é mais longa que apenas estes últimos 2 anos. Em 2010, mesmo ano de lançamento do LuizTools, o Busca Acelerada saiu do papel em outubro para se tornar uma tímida tentativa de mapear todos os classificados de carros da Internet. Na época eu e o Adriano, os fundadores iniciais, tínhamos mapeado os 5 maiores sites do RS e mais uns 4 do restante do país e, em tempo real, lhe trazíamos as ofertas deles em uma única interface de resultados. Devido à diversos problemas técnicos, conflitos com nosso provedor de hospedagem na época e o peso do meu TCC da graduação sobre meus ombros, acabamos decidindo abortar a missão 2 meses após seu lançamento, eu, o Adriano e o Lucas, que acabara de entrar no time para ajudar com o desenvolvimento.

Dois anos depois, em 2012, as constantes indagações de nossos amigos sobre o motivo do projeto não estar no ar, sendo ele tão útil, me fizeram voltar a pensar à respeito. Eu já estava formado fazia algum tempo e no momento estava iniciando minha segunda pós-graduação (não que eu tivesse terminado a primeira, mas essa é outra história...), estava muito estável no serviço e minha taxa de crescimento financeiro/pessoal também estava muito estável. Até demais. O principal empecilho técnico, que era a busca real-time nos sites de classificados, poderia ser solucionada usando diversas técnicas que acabei aprendendo ao longo dos anos para construção de robôs de busca mais eficientes, mas desta vez queríamos fazer da maneira correta, afinal na primeira vez não ganhamos nenhum centavo e muita dor de cabeça. Como que podemos construir nossa startup do zero novamente com o mínimo de tempo e esforço?

Então conhecemos o pessoal da Semente Negócios, fizemos um incrível curso de Lean Startup e Métodos Ágeis, sendo que estes últimos eu já conhecia de ponta-cabeça, e aprendemos alguns conceitos muito importantes como Lean Canvas e Lean Startup. Com esses artefatos em mãos, em 15 dias o Busca Acelerada estava no ar novamente apenas em minha cidade, Gravataí/RS. Foi o suficiente para vermos que a ideia tinha tanto potencial quanto antes, ou até mais, de dar certo. Entretanto, haviam se passado dois anos e já não eramos mais a única startup brasileira a fazer isso...

Concorrentes de peso apareceram. Não só apareceram como levantaram capital muito rápido, na casa dos milhões. A competição se tornou desleal e a nossa ferramenta crescia timidamente a taxas de 40% ao mês durante o primeiro ano, enquanto que os concorrentes estavam (e ainda estão) muito distantes de nós. Acabei pedindo demissão do meu emprego para me dedicar full-time à startup e em pouco tempo já estava conversando com clientes, com investidores e expandindo para o Brasil inteiro.

Em menos de um ano acabou o dinheiro que havia guardado inicialmente para minha viagem de estudos à Europa e que havia sido transformado no capital de giro da empresa. Falando em capital de giro, nunca aprendi tantas coisas diferentes sobre administração, contabilidade e marketing do que nos últimos dois anos administrando o Busca Acelerada. Sem caixa, a busca por investimento ficou mais agressiva, mesmo porque nosso faturamento era baixo e queria o quanto antes trazer meus sócios para a empresa, que nessa época eram 3, com a entrada do Tiago Fonseca, que também aparece na foto do post. Depois de avaliar algumas propostas, todas de investimento anjo, acabamos optando por fechar com um fundo porto alegrense chamado Investac, mantenededor da estreante no mercado, WOW Aceleradora, que eu já comentei em outro post.

Com o investimento, conseguimos montar nossa equipe full-time, embora tenhamos perdido o Tiago que decidiu trilhar outro caminho, e passamos a profissionalizar muitos processos, a gestão da empresa e evoluímos muito o produto. Com linhas de atuação bem definidas, passamos a prospectar clientes timidamente uma vez que nosso forte nunca foi vendas, e lançamos a esta altura a terceira versão do site que nos ajudou a disparar na pesquisa orgânica do Google, alcançando quase 400 mil visitantes mensais. Lançamos uma versão mobile do nosso site que em breve deve entrar na sua segunda versão. Lançamos um protótipo de Central de Peças que em breve também deve entrar na sua segunda versão. Lançamos nosso blog, que hoje cresce timidamente com o apoio de conteúdo da nossa produtora parceira, Opideia. E muitas, mas muitas melhorias no que sempre foi o nosso core: a pesquisa de veículos. O que inicialmente era apenas uma caixa de texto para buscar carros hoje é uma engenhosa engine de busca com 5 verticais (carros, motos, caminhões, náutica e autopeças), milhares de usuários registrados, cadastro e envio automático de alertas, geolocalização, filtros e busca avançada e sempre com foco na qualidade dos resultados. Ganhamos alguns prêmios, fomos finalistas em vários concursos e inclusive viajamos pela empresa algumas vezes, até para o exterior!

Essa história já tem 2 anos e tem muitas coisas bacanas que planejamos para os próximos meses. Talvez as melhores destes últimos 2 anos e esperamos que todos gostem. Obrigado pela sua visita e volte sempre.


Dicas para criar boas Palestras - Parte 2: A Apresentação

Dicas sobre o que fazer antes, durante e depois de suas palestras.

Então você aprendeu tudo o que precisava sobre como criar slides matadores no último post, não é mesmo?! Se não leu ainda, use este link. Agora lhe darei algumas dicas muito úteis sobre como se comportar na sua palestra, desde expressão corporal, preparativos e a execução da palestra em si. Apenas algumas dicas básicas, importantes, mas não obrigatórias.


Dica 1: Domine o Tema da Palestra

Não invente de sair palestrando sobre temas que você conhece superficialmente ou que não tenha vivenciado na prática. Isso tornará sua palestra flácida e você irá rachar a cara na hora das perguntas.


Dica 2: Não tenha vergonha

Sim, isso é muito difícil para muitas pessoas. Uma dica é não olhar as pessoas nos olhos, exceto quando estão lhe perguntando algo. Olhe para um ponto fixo no fundo da sala, como a porta de saída. Evite encarar sua platéia e terá menos problema.


Dica 3: Ensaie Antes

Chame alguns amigos. Palestrar para eles lhe deixará menos ansioso e servirá como prática para medir o tempo da palestra e testar a sua capacidade de fazer-se entender. Só depois parta para uma platéia de verdade.


Dica 4: Saiba quem é sua platéia

Caso não tenha como saber de antemão, pergunte antes de começar a falar sobre o assunto como é o nível de conhecimento do pessoal sobre aquele tema. Tenha a capacidade de ajustar-se conforme o grau de experiência da palestra e para isso é importante dominar o assunto.


Dica 5: Leve a Apresentação em mais de um formato

Mesmo que vá usar seu notebook, é sempre mais seguro levara  apresentação em formatos bem conhecidos e se possível, mais de um formato. Exemplos incluem PPT e PDF como excelentes formatos. Em último caso, formatos de imagem não terão problemas em nenhuma plataforma. Como medida final de segurança, leve em mais de uma mídia: HD + pendrive, por exemplo.


Dica 6: Certifique-se da estrutura

Pergunte de antemão se vai ter microfone, áudio, projetor, computador da instituição, etc. Não deixe para descobrir na hora que o vídeo que você ia passar, ninguém vai escutar pois não te alto-falantes no auditório.


Dica 7: Seja engraçado

Se a sua empresa ou você não fazem questão de parecerem sérios, aproveite. Quando possível e adequado ao slide, inclua alguma imagem bacana. Passe essa visão mais descontraída da empresa pois esse pode ser justamente o seu maior diferencial. Não precisa fazer piadas ou coisa do tipo, mas quando não sabe a resposta de algo, se esquive com alguma frase engraçada, isso irá diminuir a tensão e fará com que o público não se sinta intimidado. Quando quiser que o público entenda algo realmente abstrato e complexo, busque analogias ao mundo real, especialmente as mais engraçadas como dizer que o Firewall é como um “guardinha de shopping” ou que as ACLs são como as “secretárias dos escritórios”, o guardinha até pode deixá-lo entrar na empresa, mas a secretária sabe que você não tem permissão de entrar na sala do chefe.


Dica 8: Não fale rápido demais

Para pessoas mais tímidas, falar rápido significa terminar a palestra de uma vez. Evite isso, fale devagar, explique bem os conceitos, deixe espaço aberto para as pessoas dialogarem contigo durante a palestra. Quando estiver ensaiando e notar que está falando rápido demais, coloque uma caneta atravessada na boca e repita seu discurso, quando se acostumar e estiver entendendo o que está falando, esta é a velocidade ideal para palestrar.


Dica 9: Seja ético

Não faça apologia à atos criminosos, inclusive pirataria e plágio. Não cite nomes ao falar mal de práticas de empresas ou funcionários.


Dica 10: Não cometa gafes

Não faça propaganda de cursos rivais à instituição de ensino em que você está ou mesmo das instituições rivais. Cuide para que sua apresentação esteja adequada ao público desta instituição. Não fale palavrão e use o mínimo possível de gírias, mesmo quando tenta ser engraçado. Jamais faça menção que os alunos não deveriam estar naquela faculdade ou naquele curso, jamais critique a forma como a instituição mantém o curso, seus conteúdos, professores, etc. Jamais diga que o estudo formal não é importante dentro de uma faculdade assim como você jamais diria que os corintianos são maloqueiros em plena torcida da Gaviões.


Dica 11: Apresente-se de forma adequada

Apresente conforme a situação assim o exigir, preferencialmente realçando suas qualidade. Não possui graduação? Apresente-se como um profissional com x anos de experiência. Não possui muita experiência? Apresente-se como um estudioso da área y. Possui graduação e anos de experiência em diversas áreas? Cite apenas as que interessam à palestra em questão. Afinal, ninguém foi lá para ouvir da sua carreira e esta apresentação serve para dar alguma credibilidade ao que você está falando.


O que fazer se...

Algumas dicas de como se comportar ou se livrar de situações embaraçosas:


O que fazer se...eu não souber o que fazer com as mãos?

A melhor saída aqui é deixá-las ocupadas. Use um laser pointer e fique o tempo todo mostrando alguma coisa nos slides. Laser pointers são baratos (U$11 no Dx.com) e muito úteis, visto que funcionam como trocador de slides à distância também. Alguns laser pointers também incluem uma varinha que pode ser usada para apontar coisas mais próximas.

Assista palestras de outros palestrantes no Youtube, principalmente dos famosos como Steve Jobs, Roberto Shinyashiki e Eduardo Tevah. Verá que todos tem uma maneira diferente de usar as mãos e gestos na palestra e obviamente, nenhum deles as colocam nos bolsos...


O que fazer se... eu esquecer o que ia dizer?

É para isso que servem os PPTs! Além de servirem de pano de fundo para a apresentação, a idéia de usar uma apresentação em slides é justamente definir um cronograma a ser seguido, de outra forma facilmente esqueceríamos da ordem que devemos citar as coisas. Olhe o PowerPoint e veja os tópicos que estão lá, só não cometa a gafe de ficar lento textos do owerPoint (textos esses que nem deveriam estar lá para começar...).

Você também pode manter registro dos tópicos ou de lembretes em papéizinhos também, tipo o que o Faustão faz. Palestrantes mais modernos tem usado um tablet ou smartphone com tela grande para esse tipo de uso. Os mais descolados inclusivem trocam os slides através de seus iPads ou iPods Touch...


O que fazer se...todo mundo estiver me olhando?

Isso é o mínimo que se espera de seu público, afinal, a palestra é sua! Mas se estiver lhe incomodando, evite de olhar seu público nos olhos, imagine que está ensaiando sozinho e foque em um ponto fixo no horizonte. Essa é uma antiga técnica de teatro e funciona muito bem, finja que está olhando para alguém, mas não mire ninguém da platéia.

Esqueça neste momento que você é José Bezerra, programador pacato de uma empresa privada, finja que você é Flynn Rider, um palestrante sagaz e descolado que mantém a platéia vidrada em suas palavras. Apesar de soar difícil, palestrar é como teatro, as pessoas não lhe conhecem realmente e não sabem o que vai acontecer exatamente na peça, então você tem a liberdade de mudar a sua personalidade para se sentir mais confortável.


O que fazer se...eu não souber a resposta de uma pergunta?

Seja sincero e peça que o espectador lhe envie um e-mail depois, que você irá buscar a resposta. Se possível, descontraia dizendo algo engraçado como “Bah, me pegou!” ou algo como, “Sabia que ia ter alguém pra perguntar isso!”. Se isso acontecer com uma certa frequência, talvez não seja uma boa continuar com a palestra deste tema em outros lugares, pois talvez você não domine realmente o assunto.

Não há nada de errado em cometer um deslize desses de vez em quando, afinal, é praticamente impossível cobrir 100% dos aspectos inerentes a uma tecnologia ou assunto, apenas evite que isso se torne rotina e se prepare mais para a próxima vez!


O que fazer se...eu chegar antes do horário e já tiver platéia?

A melhor coisa que você pode fazer, assim que terminar de testar os equipamentos e deixar sua apresentação em ponto de bala é puxar conversa com o pessoal. Faça perguntas que eles tenham de levantar as mãos para responder: “Quem aqui já conhece .NET?”, “Quem aqui trabalha com programação?”, “Tu aí de branco, trabalha aonde?”, “Nesta instituição tem alguma cadeira que mostre ORM?”, “Qual o semestre do pessoal que está na palestra?”, “Qual o curso?”. Coisas desse tipo ajudam a interagir com o público e quando menos esperar já é hora de começar a palestra.

Algumas dessas perguntas, além de matarem algum tempo, permitem que você possa conhecer melhor sua platéia e talvez até repensar sua estratégia de transmitir o conteúdo, talvez adequando os exemplos à realidade da platéia, coisas desse tipo.

Espero que tenham gostado dos posts, deixem suas dicas nos comentários!

Dicas para criar boas Palestras - Parte 1: Os Slides

Dicas de como criar slides para palestras.

Decidi agrupar algumas linhas-guia para criação de boas palestras. Elas são fruto de alguns anos assistindo palestras de outras pessoas e porquê não dizer de anos de experiência criando palestras para os outros assistirem. Entenda que são apenas isso, guidelines, e não regras escritas em pedra.

Tudo o que está aqui não tem validade científica, é apenas fruto das minhas experiências de 7 anos fazendo teatro em até 3 grupos simultâneos e de 4 anos dando palestras e cursos em dezenas de instituições. Enquanto que no teatro fazia peças diversas para público infantil, adolescente e até mesmo mais erudito, as palestras em si sempre foram corporativas com tom técnico, mesmo que em segundo plano tivessem um viés motivacional. Criei programas de palestras e cursos que foram ministrados em dezenas de instituições de ensino técnico e superior pelo estado do RS.


Estrutura da Apresentação

Tenha em mente os seguintes slides na sua apresentação:

Slide 1: Inclua uma capa

A apresentação deve ter um título informando o tema da palestra. Esta capa do PPT deve estar visível desde o momento que você conectou seu PC no projetor até você dar o início à palestra e ter que trocar de slide.

Se você não vai colocar um slide de apresentação após a capa, não esqueça que você deve se apresentar formalmente ao público antes de partir para os demais slides. Uma apresentação formal pode ser: “Bom dia pessoal, primeiramente gostaria de agradecer a presença de todos e agradecer o convite feito pela escola. Meu nome é Fulano da Silva e sou [profissão] na empresa X trabalhando diretamente com projetos do tipo tal.”

Coisas interessantes a incluir nesta apresentação é a sua formação, caso ache que seja interessante apresentá-la ao público, e principalmente, o seu tempo de experiência na área que está palestrando, mesmo que diga apenas há quantos anos é desenvolvedor de software em geral. Se você quer que o público seja mais interativo, convide-os a lhe interromper a qualquer momento durante a palestra, senão eles não vão fazê-lo por educação, mesmo se tiverem dúvidas.

Slide 2: Cronograma

Inclua um slide apenas para exibir os tópicos que serão abordados na palestra, como se fosse um sumário.

Slide 3-?: Estado da Arte ou Introdução ao Tema

Mesmo que a palestra seja voltada a um público muito fera, sempre é importante relembrar conceitos ou introduzir o assunto que será abordado no restante da palestra. É sobre Entitiy Framework? Fale sobre ORM antes. É sobre ASP.NET MVC? Fale sobre o padrão MVC. É sobre Cloud Computing? Defina o termo. Isso irá ajudar a nivelar o pessoal e a ambientá-los com o tema que será abordado. Use quantos slides achar necessário, mas mantenha controle do tempo total da palestra.

Slide 4-?: Conteúdo Central

Aqui vão os slides centrais da palestra com o conteúdo proposto. Para construção destes slides use as regras gerais definidas mais abaixo. É de bom tom quando for fazer uma demonstração prática, incluir um slide avisando isso, principalmente para que não se esqueça.

Slide 5-?: Conclusões

Aqui vão os slides de encerramento da palestra. Você faz suas considerações sobre o assunto, defina tópicos que seriam interessantes de serem estudados pelo pessoal para se aprofundarem no assunto, etc.

Slide 6: Dúvidas

Deixe um slide em branco apenas para solicitar que o pessoal da platéia tire dúvidas contigo. Muitas pessoas deixam para o final da palestra suas dúvidas e essa é a hora que elas tem de expressá-las em público. Na hora de responder, seja humilde e reconheça se não entendeu a pergunta ou se não sabe a resposta de “bate-pronto”. É de bom tom dizer que ficará mais alguns minutos após a palestra para tirar dúvidas em particular caso alguém tenha mais dúvidas que o tempo da palestra. Durante as dúvidas, é possível trocar para o slide de Contato (ver adiante) para que o público já vá copiando seus contatos, especialmente se está com pouco tempo.

Slide 7: Contato

Muito importante, disponibilize um slide com os seus contatos. Apresente-se rapidamente no topo do slide e coloque contatos como e-mail, Twitter, blog pessoal, etc. Dê um tempo neste slide para que o pessoal possa copiar os contatos.

Slide 8: Referências

Inclua quantos slides forem necessários para disponibilizar as referências da palestra. Como referências entenda os links importantes ao público. Valem links com tutoriais sobre o assunto, link oficial sobre o assunto, link para download de ferramentas utilizadas na demonstração e por aí vai. Antes de encerrar a apresnetação, não se esqueça de agradecer novamente a oportunidade e desejar a todos um bom dia/noite, etc.

Regras Gerais

Embora não sejam relacionadas à apresentação digital em si, estas regras ajudam a não se perder na hora de apresentar a palestra ou mesmo de não cometer gafes.

Regra 1: Evite os slides eternos

Jamais deixe uma apresentação parada em um slide por mais de 2 minutos enquanto você fala indefinidamente. Para uma palestra de 1h, imagine que um bom número de slides é 30, sendo que você vai falar cerca de 2 minutos para cada slide e vai ter alguns minutos para perguntas e respostas.

Regra 2: Revise a Gramática

Jamais deixe erros de Português nos slides. Revise com algum colega para ver s enão deixou escapar nada. Nada é pior do que um Bacharel em alguma coisa apresentando textos com erros ortográficos. É ridículo.

Regra 3: Seja educado

Sempre se apresente no início da palestra. Não seja arrogante ao ponto de pensar que todos o conhecem. Caso não conheçam a empresa que você trabalha, é de bom tom apresentá-la também, mas sem puxar pra assuntos comerciais ou venda de serviços. Deixe claro que você não está palestrando pra vender, mas para disseminar conhecimentos. Agradeça no início e final de palestra pelo convite e pela participação de todos.

Elogie quando alguém fez uma boa pergunta, isso fará com que outras pessoas fiquem motivadas a perguntar. Perguntar o nome da pessoa antes de responder sua dúvida também torna a interação menos formal. Por mais petulante que algumas pessoas sejam, evite descer ao nível delas. Explique seu ponto de vista, defenda o que está dizendo com argumentos sólidos e não apenas com intimidação barata como “minha empresa é maior que a sua”, “minha graduação é maior que a sua”, etc. Já esteja preparado para discussões e evite que as mesmas virem “acaloradas”. 

Regra 4: Evite os Vídeos

Vídeos podem ser ótimas ferramentas para entreter o público, mas desde que não ultrapassem 5 minutos da palestra. Qualquer coisa além disso faz com que a sua presença se torne menos importante para o público e vídeos longo tendem a dispersar a platéia.

Regra 5: Evite os Textos

Coloque apenas tópicos nos slides ou no máximo a definição formal de um assunto a ser abordado. Jamais escreva parágrafos inteiros de texto e principalmente, não inclua transcrições literais sem citar as fontes, sempre vai ter alguém na platéia que vai saber que você copiou aquele trecho de algum lugar.

Regra 6: Abuse das Imagens

Uma imagem vale mais que mil palavras. Abuse delas, desde que tenham a ver com o contexto que está sendo abordado. Misture essa regra com a do “Seja engraçado” e você vai ver como o público estará sempre atento esperando pelo próximo slide.

Leia a parte 2 neste link!